Jantar (5)

 

Uma das coisas mais importantes na festa de casamento é escolher como será o serviço de alimentação. Este item além de ter um peso considerável no orçamento final, ajudará a definir o conceito do casamento, o layout e a personalidade do evento.

 

 

Jantar (2)

 

Quando pensamos em uma refeição seja em formato de buffet ou empratado, nos condicionamos a um casamento que terá um momento específico onde todos estarão comendo, haverá então o momento refeição. Quando falamos em serviço empratado ou buffet, obrigatoriamente nos direcionamos para um layout no qual todos estarão sentados em mesas e cadeiras. Isso faz com que o casamento tenha um protocolo mais rígido, e restringe as possibilidades do layout. Vale lembrar aqui que o caminho inverso é verdadeiro, quero dizer que se você deseja um casamento com todos sentados em mesas e cadeiras, que haja um momento específico para a refeição, o ideal é que você escolha um serviço no formato de buffet ou empratado.

 

Jantar (3)

 

Quando escolhemos oferecer as mini porções ou ilhas, caminhamos para casamentos mais descontraídos, não ocorrerá um momento em que todos sentarão, pararão de conversar, circular, para comer. Aqui a melhor opção de layout é o de lounges, poucas ou nenhuma mesa, bistrôs e assentos espalhados pelo espaço.

 

 

Digo isso, pois se você direcionar todos os convidados para mesas e cadeiras, se solicitar que sentem, muito provavelmente todos esperarão um prato convencional, todos acreditarão que serão servidos ao mesmo tempo, e no sistema de mini porções o serviço é volante e dinâmico. Durante mais tempo a comida é servida e oferecida, portanto, os convidados não receberão ao mesmo tempo a mesma coisa. Neste sistema,é fundamental que o cardápio oferecido dispense o uso de faca, e que seja realizado por uma ampla e experiente equipe.

 

 

No sistema de ilhas os convidados podem circular e se servirem seja de opções como nas mini porções, em pequenos recipientes, com alimentos que não precisam ser cortados, que os permite ficar em lounges, ou podem ser pratos que exigem que todos sentem, o que transforma o sistema de ilhas em um buffet.

 

Aqui no Rio Grande do Sul muitas noivas ainda temem que os convidados estranhem ou fiquem com fome quando optam pelas mini porções, mas eu lhes garanto, com uma boa equipe, um cardápio bem pensado, e um cronograma bem feito, ninguém ficará com fome, muito pelo contrário.

 

Jantar (1)

 

Outro medo é com relação ao sistema empratado, muitos também temem que as pessoas fiquem com fome, ou que o número menor de opções desagrade a muitas pessoas. Mas de novo, com uma boa equipe, um cardápio bem estudado, o sistema empratado agrada a grande maioria e ninguém fica com fome.

 

Defina antes de mais nada como seria o casamento dos seus sonhos, delineie a personalidade que você almeja imprimir no seu casamento, depois pense qual o formato de alimentação combina, e ajuda a construir o conceito desejado. Lembrem sempre que o serviço escolhido interferirá diretamente no estilo do casamento!

 

Jantar (4)

 

Existem prós e contras em todos os formatos, pense nas suas prioridades e analise junto a sua wedding planner qual seria o melhor maneira.